top of page
image.png

Blog

O que é período fértil



Para que a gravidez ocorra o sistema reprodutor de mulheres e homens deve funcionar

perfeitamente, ou seja, nenhum dos parceiros pode ter qualquer problema que provoque

alterações na fertilidade.

Desde a puberdade, por exemplo, os ovários liberam um óvulo a cada ciclo menstrual,

capturado pelas tubas uterinas onde a fecundação acontece.

Fecundação é o processo em que os pronúcleos do óvulo e espermatozoide se fundem,

originando o zigoto, célula-ovo que passa por sucessivas divisões celulares até se transformar em embrião, primeiro estágio do futuro ser humano.

Para a fecundação ser bem-sucedida, entretanto, é fundamental que as relações sexuais

ocorram no período fértil, um curto espaço de tempo do ciclo menstrual.

Continue a leitura até o final e saiba mais sobre o período fértil, informação importante para a

mulher com a intenção de engravidar. O texto aborda, ainda, das fases do ciclo menstrual ao

desenvolvimento da gestação, contextualizando as etapas necessárias para gerar uma nova

vida.


Entenda melhor o período fértil

Óvulos e espermatozoides são as células reprodutoras feminina e masculina. As mulheres

nascem com uma quantidade de folículos, bolsas que contém o óvulo primário, enquanto os

homens produzem espermatozoides durante toda a vida a partir da puberdade.

A puberdade também marca o início da vida fértil feminina, quando a mulher se torna apta a

engravidar e os ciclos menstruais iniciam.

O ciclo menstrual é dividido em três diferentes fases, folicular, ovulatória e lútea. O

funcionamento correto delas é fundamental para a fecundação e desenvolvimento da gravidez.

Na fase folicular, vários folículos são recrutados, um se torna dominante e destaca no ovário,

desenvolvendo e amadurecendo para posteriormente romper e liberar o óvulo durante a

ovulação, processo que ocorre na fase ovulatória.

Os espermatozoides, por outro lado, são produzidos nos túbulos seminíferos, estruturas

enoveladas localizadas em cada testículos. A maturação final, quando a cauda ou flagelo é

formada possibilitando a mobilidade, acontece nos epidídimos.

Durante a ejaculação, milhares de espermatozoides maduros são lançados no organismo

feminino abrigados no sêmen, porém, apenas um deles alcança o óvulo e o fecunda.


O período fértil ocorre na fase ovulatória e o óvulo fica disponível para ser fecundado por

aproximadamente 24h após ser liberado. Os espermatozoides, entretanto, sobrevivem por

mais tempo no organismo feminino, em média 5 dias.

O corpo sinaliza quando a ovulação está próxima. As mamas, por exemplo, se tornam mais

doloridas, a libido é intensificada e o muco cervical, substância secretada pelo colo do útero,

passa a ter uma aparência semelhante à da clara de ovo e fica mais pegajoso.

É possível, ainda, calcular o período fértil nos ciclos regulares, de 28 dias. Para isso, é só

anotar o 1º dia da menstruação, que marca o início do ciclo menstrual. A ovulação geralmente

ocorre no 14º dia, assim, para fazer o cálculo subtraia cinco dias da data, tempo de sobrevida

dos espermatozoides.


Fecundação e desenvolvimento da gravidez

Durante a fecundação os pronúcleos dos espermatozoides e óvulos se fundem. Neles, estão

contidas as informações genéticas dos pais. O zigoto, primeira célula do novo ser humano, tem

origem nessa fusão. A etapa geralmente ocorre nas 24h posteriores à fecundação.

O zigoto passa por sucessivas divisões celulares, processo chamado clivagem, originando

diferentes células e iniciando a formação do embrião. A primeira clivagem ocorre logo após a

formação do zigoto e, entre o quinto e sexto dia de desenvolvimento o embrião atinge a fase

de blastocisto, quando as células já estão formadas e divididas por função.

No blastocisto, ele é transportado das tubas uterinas ao útero, local em que implanta no

endométrio, camada que reveste o órgão internamente. A implantação do embrião é

fundamental para o sucesso da gravidez: quando não é bem-sucedida, resulta em

abortamento.


De embrião à feto

Aproximadamente na 9ª semana, com a placenta e órgão anexos já formados, surgem as

células ósseas (osteoblastos) nas cartilagens do embrião, iniciando o processo de ossificação.

Durante esse período o embrião mede mais ou menos 2,5 centímetros e já possui uma

aparência humana, passando, então, a ser chamado de feto.

O desenvolvimento intrauterino dura ao todo 3 trimestres ou 9 meses. Para facilitar a saída do

bebê o útero se contrai e relaxa ao mesmo tempo, ajudando a abrir o colo uterino e empurrá-

lo para o canal de nascimento.


Ainda que na espécie humana a fecundação aconteça naturalmente durante a relação sexual

desprotegida no período fértil, quando há problemas de fertilidade, também pode ocorrer com o auxílio de técnicas de reprodução assistida.

A infertilidade é definida após um ano de tentativas com a prática sexual desprotegida durante o período fértil. Por isso, a atenção a ele é fundamental quando há a intenção de engravidar, não apenas para garantir mais chances, mas para observar, ao mesmo tempo, possíveis alterações no processo reprodutivo.

Se houver dificuldades, por outro lado, as três técnicas de reprodução assistida possibilitam a

gravidez.

Na relação sexual programada (RSP) e inseminação artificial (IA), de baixa complexidade,

diferentes procedimentos facilitam a fecundação, que ocorre naturalmente, nas tubas uterinas.

Já na FIV, técnica mais complexa, é feita artificialmente, em laboratório.

Comments


bottom of page